terça-feira, fevereiro 24

Biblioteca e Arquivo da Horta



A carência era tanta que os faialenses adoptaram a postura de “a cavalo dado não se olha o dente”!
Quero eu dizer que depois de tanto tempo e de tanta falta ter feito um espaço condigno, os faialenses rejubilaram com a nova biblioteca e arquivo.
Apesar dos efectivos benefícios e das inolvidáveis oportunidades culturais que este espaço trás, gostaria de lembrar alguns pontos:
- As antigas instalações da Biblioteca e Arquivo da Horta eram perfeitamente degradantes e impróprias, por isso este novo espaço não é uma dádiva do Governo...é uma obrigação!
- A necessidade deste espaço condigno na Horta foi manifesto há aproximadamente 20 anos. Entretanto foram já edificados centros culturais, restaurados teatros e inaugurados complexos multiusos por todas as ilhas, por isso este novo espaço não é uma bandeira do Governo...é a diminuição da injustiça!
- O projecto tem mais de 15 anos, as obras começaram há mais de 10 e só agora chegou ao fim! Nem portos, nem aeroportos, nem hospitais, nem vias rápidas, nem Portas do Mar levaram tanto tempo a construir!
O que se passou? Quantos milhões foram entretanto sendo previstos e desviados dos orçamentos dos governos? O projecto com mais de 15 anos, continua bem dimensionado e adequado às novas realidades e exigências sociais e tecnológicas dos Faialenses?
- É como digo, apesar da aparente aceitação (potenciada pela fome!) continuo a achar que este processo foi vergonhosamente mal conduzido: pela demora, pela injustiça do investimento desarmonioso nas várias ilhas e pela provável desactualização.
Sabe mal...sabe a migalha...sabe a gato por lebre!

2 comentários:

geocrusoe disse...

em termos de tecnologias já ouvi críticas, não tanto consequência da distância temporal entre o projecto inicial e a construção da obra, pois a arquitecta pode fazer adaptações, mas sobretudo por intransigência de responsáveis regionais que não deram ouvidos a algumas pessoas que desenvolvem actividades na área da cultura.

RD disse...

Ah e iam dar ouvidos a quem não lhes beija os pés? O resultado é uma Biblioteca e Arquivo sem pessoal técnico para o trabalho!